Família

Estou grávida, e agora?

Seja bem-vindo!Estou grávida, e agora? Parabéns, que seja bem-vindo (a). Todos desejamos ser pais. A mulher, então, quando frustrada neste intento, entra até em depressão; insiste, mesmo após algumas tentativas sem êxitos, persiste, seu casamento pode até acabar, sua vida não terá sentido. E o tão esperado sonho se realiza, “estou grávida”, diz ela, “parabéns, que venha perfeito e com saúde”, felicitam-lhe todos. Pois bem, e “se” não vier “perfeito e com saúde?’ Estão preparados? …

O que ensinar para seus filhos sobre o natal?

Quando chega a época do Natal, nós cristãos somos desafiados a focar a nossa atenção ao verdadeiro sentido do Natal. Muito mais que uma tradição cultural ou um excelente momento para o comércio, precisamos ensinar os nossos filhos que o natal  é uma celebração de fé e valores, de paz e união, de família e alegria. Enfatize estes cinco valores aos seus filhos nessa época do ano: …

Crie filhos em vez de herdeiros

Em 2006, o Citybank, fez uma campanha em outdoor na cidade de São Paulo, que foi premiada nacionalmente. Essa propaganda, fala de coisas essenciais da vida, veja:

  • Crie filhos em vez de herdeiros. Eduque seu filho para que ele conheça o valor das coisas e não o seu preço
  • Dinheiro só chama dinheiro, não chama para um cineminha, nem para tomar um sorvete.
  • Não deixe que o trabalho sobre sua mesa tampe a vista da janela. 
  • Não é justo fazer declarações anuais ao Fisco e nenhuma para quem você ama.
  • Para cada almoço de negócios, faça um jantar à luz de velas.
  • Por que as semanas demoram tanto e os anos passam tão rapidinho? Quantas reuniões foram mesmo esta semana? Reúna os amigos.
  • Trabalhe, trabalhe, trabalhe. Mas não se esqueça, vírgulas significam pausas… e quem sabe assim você seja promovido a melhor pai do mundo!
  • Você pode dar uma festa sem dinheiro. Mas não sem amigos.

A belíssima campanha realmente existiu sendo veiculada no ano de 2006 ganhando o Prêmio Padrão da Central do Outdoor. A Fallon Brasil foi a agência responsável pela campanha. Abaixo as imagens que localizei no site lafora.com.br que trata de mídia exterior.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fontes:

lafora.com.br
centraldeoutdoor.com.br

Ame o seu próximo – bons tratos para a infância

alt A FEPAS – Federação das Entidades e Projetos Assistenciais da CIBI, tem como eixo principal do programa que está em andamento (2010-2012) a proteção e atenção às nossas crianças e adolescentes, com base na lei de nosso País que aborda este tema, que é o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e também com base nos preceitos bíblicos sobre a infância e o lugar da criança no Reino de Deus.

Nesta edição do LT (abril de 2010) cada igreja está recebendo uma revista da Rede Mãos Dadas, que é uma organização cristã evangélica com foco na criança e adolescente. Nesta revista é apresentada a Campanha Ame o seu próximo – Bons Tratos para a Infância. A FEPAS apoia esta campanha e convida a todos vocês para uma ação nacional do povo Batista Independente, somando forças com outras organizações e denominações evangélicas, em favor do cuidado e proteção da infância. Estamos também, através do envio desta revista, lembrando que 18 de maio é O Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, criado em 2000, pela Lei Federal N°. 9970/00. Esta data foi escolhida, pois neste mesmo dia, em 1973, Araceli Cabrera Sanches, uma menina de oito anos foi sequestrada, drogada, espancada, estuprada e assassinada por filhos da alta sociedade de Vitória, no Espírito Santo. Com o Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, o governo e organizações não governamentais querem os brasileiros de norte a sul formando um verdadeiro consórcio de proteção social e a igreja evangélica não pode ficar fora de um movimento que busca justamente cuidar para que “nenhum dos pequeninos se perca”.  Com isto, propomos algumas ações para serem realizadas nas igrejas, grupos de comunhão, Escola Dominical e cultos. Ações:

  1. Ore em grupos pela crianças e suas famílias nos cultos da igreja – Faça um culto especial com informações sobre como cuidar melhor das crianças e adolescentes
  2. Faça uma classe de pais para estudar algum artigo da revista, capacitando-os a educarem seus filhos com amor e limites;
  3. Nos grupos pequenos de sua Igreja, casa ou projeto social, informe sobre os cuidados com as crianças
  4. Faça um dia especial com foco na proteção da infância utilizando o material da revista Mãos Dadas.

Para saber mais sobre este projeto, acompanhe a página da FEPAS – Faça sua ação, entre nesta Campanha e cuidemos de nossas crianças!


Tânia de Medeiros Wutzki, Coordenadora de Projetos da FEPAS

O que não vão lhe dizer em uma clínica de aborto…

1 – Não vão dizer para você que O ABORTO PODE PREJUDICAR SUA SAÚDE

Muitas pessoas acreditam que abortar é tão fácil como extrair um dente. Muito pelo contrário, o aborto é um procedimento muitíssimo delicado, que pode ter graves conseqüências. O pessoal encarregado desta prática insiste em minimizar as complicações ou simplesmente afirmar que não existem. Isto não é verdade. O fato é que muitas mulheres têm sofrido danos físicos em conseqüência de abortos   provocados “legalmente’.
 
O músculo cervical pode sofrer dano, pois o colo do útero (cérvix) é forçosamente dilatado. Isto significa que numa gravidez futura há grande possibilidade de se perder o bebê por aborto espontâneo ou parto prematuro. O dano ocasionado nas paredes uterinas é outra preocupação.
Perfurações do útero, infecções, hemorragias e coágulos de sangue são apenas algumas das complicações que você poderá sofrer  em um aborto provocado. Ainda que você possa sair aparentemente “bem” de um aborto provocado, no futuro poderá apresentar problemas de esterilidade, gravidez fora do útero ou freqüentes abortos espontâneos.
Algumas mulheres só engravidam uma vez na vida. Quem sabe seja este o único bebê que você poderia ter! Um aborto aumenta a possibilidade de não tornar a engravidar quando desejar ter um filho. Você quer mesmo correr este risco?
2 – Não vão dizer para você que O ABORTO DEIXA CICATRIZES EMOCIONAIS

É muito comum que uma mulher sofra as conseqüências de sua decisão poucos dias depois de ter abortado. Se estas conseqüências não aparecem imediatamente, virão com o tempo.

Os problemas emocionais se manifestam de várias formas: uma depressão inexplicável, seu afastamento das demais pessoas, emoções reprimidas, endurecimento do instinto maternal (que pode resultar no abuso ou descuido dos filhos que a mulher ainda possa ter), fortes sentimentos de culpabilidade e até mesmo pensamentos de suicídio. Não se deixe enganar. Cada aborto provocado acarreta conseqüências emocionais graves.
3 – Não vão dizer para você que UM ABORTO PROVOCADO MATA O BEBÊ

Antes de você saber que está grávida, o coração do novo ser já terá começado a pulsar.

Com seis semanas de desenvolvimento já é possível detectar ondas cerebrais e o bebê se move e responde ao tato. Com oito semanas, o bebê está perfeitamente desenvolvido, com os dedos das mãos e dos pés, e já apresenta as suas próprias impressões digitais.
Na décima semana, já pode franzir a testa, levar até a boca e chupar o seu dedo polegar. Se você tocar suavemente seu nariz, ele moverá a cabeça. Entre a décima – primeira e duodécima semana, todos os sistemas do seu corpo estão presentes e funcionando. Tudo  o que necessitará, daqui para frente, para ser um  recém-nascido saudável, é  questão de tempo e nutrição. Nenhum órgão ou sistema se desenvolve mais, nele, depois de doze semanas.
4 – Não vão dizer para você que O ABORTO  É  UMA VIOLÊNCIA
O método de aborto mais comum em gravidez de poucas semanas é o de “sucção por aspiração”. O colo uterino é dilatado à força. Então um aspirador com uma potência 29 vezes maior que a de um aspirador doméstico é usado para sugar “o conteúdo do útero”.

O método chamado “D & E” é usado em gravidez de quinze semanas ou mais.  Como no método de sucção, o bebê é cortado em  pedaços. Neste caso, o “médico” usa um instrumento especial para separar os braços e as pernas do resto do corpo. Em seguida pressiona sua cabeça para sugar o cérebro e esmagar o crânio. Só então continua retirando o resto do corpo.
Outro método empregado para abortar, depois de 15 semanas, utiliza uma solução salina, injetada no saco amniótico, causando envenenamento ao bebê. Isto também queima a camada externa de sua pele. Por mais de uma hora o bebê entra em convulsão, até morrer nessa agonia. Agora a mãe já pode dar à luz  um bebê martirizado… e morto.
Ao aborto praticado no último trimestre da gravidez denomina-se “histereoctomia”. Consiste em se fazer uma incisão no abdômen da mãe, para retirar o bebê do ventre materno e deixá-lo morrer por si mesmo.
5 – Não vão dizer para você que O ABORTO EXPLORA A MULHER

Os conselheiros das clínicas de aborto usam termos obscuros como “produto da concepção”, “conteúdo do útero”, “tecido fetal” etc., para referir-se ao bebê.

Raramente aconselharão você a continuar com a gravidez, pois para eles o aborto é um negócio, cujo propósito é auferir lucros. Diríamos então que eles estão se aproveitando  de seu  problema, isto é, explorando-a, para  ganhar  dinheiro.
Quem ministra o aborto ganha mais dinheiro em 30 minutos do que durante os nove meses da  mulher engravidada. Eles não pensam em você… Mas só no dinheiro que podem conseguir à sua custa.
6 – Não vão dizer para você que HÁ ALTERNATIVAS PARA O ABORTO
Existem muitas organizações que podem oferecer um apoio prático em caso de gravidez inesperada: oferecem, por exemplo, roupas para a mãe grávida e para o bebê que vai nascer, residência, cuidados pré-natais e ajuda econômica. Também oferecem conselheiras que podem ajudá-la durante esse período difícil.
Por favor, pense cuidadosamente em seu futuro. A decisão que você tomar agora vai afetá-la para todo o resto de sua vida. Se você não está segura ainda sobre a decisão de abortar, conceda a você mesma uns dias mais, e pense seriamente. Não permita que ninguém a pressione a tomar uma decisão demasiado rápida, para a qual não se sinta devidamente preparada.
Procure ajuda. Você não está sozinha. Há muita gente que  pode e quer ajudá-la e vai dizer sempre a verdade que você precisa saber a respeito de aborto.
Esta é uma decisão muito difícil de fazer. Por favor, seja madura. Só uma pessoa imatura pensa unicamente em si mesma.

Este folheto não foi escrito por nenhum militante de uma organização pró-vida, nem por uma avozinha de sessenta anos que nunca enfrentou o problema de uma gravidez inesperada.

Foi escrito por uma jovem  mulher de dezoito anos, que também já ficou grávida. Uma mulher que tinha medo de enfrentar sua gravidez, como acontece com você agora, e que decidiu abortar.

Nove anos depois, inteiramente arrependida, agora entendo o que fiz e o que deveria ter feito. Por esta única razão, eu gostaria que você soubesse…O QUE ELES NÃO ME DISSERAM.