Finanças

O dizimista rico e o dizimista pobre

Certa vez uma criança recebeu um real de seu pai e ao ver que o pai tinha moedas, pediu ‘papai, me dê em moedinhas’ e o pai o fez olhando o menino pegar as moedas preocupado se não as colocaria na boca, mas notou que colocou uma moeda de dez centavos no bolso esquerdo e as outras no bolso direito. Por isso o pai perguntou ‘por que separou aquela moeda de dez centavos?’ e o menino respondeu ‘é o dízimo papai, eu separei não esquecer’. Aquele homem aprendeu de uma forma prática o que é ser dizimista, um compromisso de entregar dez por cento, não do que sobra, mas de tudo.

 

Muitas pessoas fazem propósito de ser dizimistas quando conseguirem um emprego melhor ou receber algum dinheiro. Mas o certo é “buscar em primeiro lugar o Seu Reino e a Sua justiça [o dízimo é para o Reino e é justo] e as demais coisas vos serão acrescentadas” (Mateus 6.33) e “entrega o teu caminho [primeiro] ao Senhor, confia nele e [depois] o mais Ele fará” (Salmos 37.5). Jesus disse: “quem é fiel no pouco também é fiel no muito; e quem é injusto no pouco também é injusto no muito” (Lucas 16.10), por isso não podemos esperar ter dinheiro para entregar o dízimo. Há também aqueles que são fiéis quando ganham pouco e quando recebem muito acham que o dízimo é alto, então deveriam voltar a ganhar pouco pra doar pouco também. Qual é mais difícil: entregar o dízimo um valor pequeno ou alto? Vejamos os dois primeiros dizimistas da Bíblia, Abrão e Jacó, um rico e um pobre e seu exemplo de fé:

1º- O dizimista rico – ABRAÃO: Gênesis 15.18-20 Abraão foi o primeiro dizimista. A atitude de Abraão ao entregar seu dízimo foi baseada na sua fé e em gratidão a Deus que já o tinha abençoado por que ele era muito rico. O montante do dízimo de Abraão foi enorme, pois entregou dez por cento de tudo o que tinha, daí veio a palavra dízimo. Abraão poderia pensar que Deus não precisaria de tudo aquilo, nem mesmo o sumo-sacerdote Melquisedeque iria precisar de tanto. Contudo pela fé, Abraão entregou livremente seu dízimo sem questionar. O que é ser rico? Ser rico é não sentir falta ou necessidade de nada mais além do que já tem. Sendo assim, mesmo sendo assalariado, se você está satisfeito você é rico. Se você tem o que comer e com que se vestir (Mateus 6.25 e I Timóteo 6.6-9) e ainda pode doar para o próximo e ajudar na construção do Reino de Deus com suas ofertas e o Dízimo, então você é rico.

A palavra de Deus diz que “o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males” (I Timóteo 6.10) e que os ricos estão nestas condições para usar seus recursos para o bem (I Timóteo 6.16,17). Se você é rico ou tem boas condições, saiba que tudo isso é proporcionado por Deus e a Ele todos são devedores. Você é rico como Abraão? Seja grato e fiel no muito que Deus te dá! 2

2º- O dizimista pobre – JACÓ: Gênesis 28.20-22 Jacó era neto de Abraão e certamente sabia da experiência de fé dizimista de seu avô. Mas a realidade de Jacó neste momento era muito diferente, por que estava pobre. Na verdade não tinha nada. Havia perdido tudo. Seu sogro o explorou e ainda não tinha herança. A única coisa quer Jacó pediu a Deus foi comida, roupa e paz (v.20, 21). Mesmo assim Jacó fez o voto de ser fiel prometendo servir a Deus (v.21b) e também edificar a Casa de Deus (v.22a) além de entregar o dízimo de tudo que receber (v.22b). Jacó poderia pensar que não tinha condições de doar nada. Além disso, Deus não havia lhe pedido nada ou mandado que fosse dizimista. Este desejo surgiu no coração de Jacó baseado tão somente em sua fé, não em seus recursos. O que é ser pobre? Ser pobre é não ter nada ou ter falta de coisas essenciais como alimento, veste e moradia. Sendo assim se você tem o que precise para viver, você não é pobre. Mas se mesmo tendo algo, sente falta de mais, então você ainda é pobre. Isso pode ser relativo. Aquela viúva pobre não tinha nada além de uma moedinha, mas não se sentiu pobre o bastante para não conseguir doar. Ela agiu pela fé. Já os outros ofertantes que olhavam deram do que sobrava, por que sentiam necessidade de ter mais (Lucas 21.2,3). Você é pobre como Jacó? Seja fiel no pouco e Deus te prosperará! Seja rico ou pobre, seja FIEL! –

CONCLUSÃO: Sabemos que tanto Abraão como Jacó prosperaram muito em sua vida, tendo o dízimo como sua marca de fé e deixando sua experiência de ser fiel no muito e no pouco. Você é rico? Entregue o dízimo ao Senhor pela fé como atitude de gratidão pelo que Deus te dá, não querendo ganhar mais embora saibamos que certamente “diz o SENHOR dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu e não derramar sobre vós bênção sem medida” (Malaquias 3.10). Você é pobre? Seja fiel a Deus no pouco, pela fé e será restituído. Talvez você questione se seria possível ser dizimista sem ter dinheiro ou salário? SIM! Por que o Dízimo é uma questão de fé e requer uma atitude.

Muitos dizem não ter dinheiro para entregar o dízimo, por estar desempregados, mas continuam fazendo seus lanches, compras, lazer e outros sem abrir mão de algo para exercer fidelidade no pouco e então receber a restituição do Senhor. Entretanto já vimos muitos testemunhos de pessoas que sem qualquer condições entregaram seu dízimo e foram abençoadas.

Caro amigo/a, tanto a pobreza como a riqueza são estados de vida que podem ser passageiros, mas a fidelidade é a segurança de como Davi dizia “Fui moço e já, agora, sou velho, porém jamais vi o justo desamparado, nem a sua descendência a mendigar o pão” (Salmos 37.25) ou mesmo sendo ricos como Salomão, possamos pedir: “afasta de mim a falsidade e a mentira; não me dês nem a pobreza nem a riqueza; dá-me o pão que me for necessário; para não suceder que, estando eu farto, te negue e diga: Quem é o SENHOR? Ou que, empobrecido, venha a furtar e profane o nome de Deus” (Provérbios 30.8,9).

Conceitos fundamentais sobre os dízimos

A Sociedade atual em que vivemos é consumista e imediatista. A forma como lidamos com dinheiro ignora o princípio bíblico do dízimo. Tornamos esse princípio relativizado no dia-a-dia de nossas decisões financeiras. É comum estarmos sempre apertados financeiramente pelo fato de ignorarmos esse princípio espiritual. O número de dizimistas fiéis nas igrejas é muito pequeno. O número de frequentadores tem aumentado, mas não o número de dizimistas. Vamos revisar alguns conceitos importantes sobre o dízimo segundo a Bíblia:

 

1. O Dízimo foi estabelecido pelo Senhor

  • Abraão entregou o dízimo a Melquisedeque – “Melquisedeque, Rei de Salém, trouxe pão e vinho, era sacerdote do Deus altíssimo, abençoou ele a Abrão e disse: Bendito seja Abrão pelo Deus altíssimo, que possui os céus e a terra e bendito seja o Deus altíssimo que entregou os teus adversários nas tuas mãos. E de tudo lhe deu Abrão o dízimo.” (Gênesis 14.18-20)
  • Jacó fez voto de dar o dízimo em Betel – “Perto dele estava o Senhor e lhe disse: Eu sou o Senhor Deus de Abraão, teu pai, e Deus de Isaque. A terra em que agora estais deitado, eu ta darei, a ti e a tua descendência… Despertado Jacó do seu sono, disse: Na verdade, o Senhor está neste lugar, e eu não o sabia… …e temendo disse: Quão temível é este lugar! É a casa de Deus, a porta dos céus… Se Deus for comigo, e me guardar nesta jornada que empreendo, e me der pão para comer e roupa que me vista, de maneira que eu volte em paz para a casa de meu pai, então, o Senhor será o meu Deus, e a Pedra que erigi por coluna, será a casa de Deus, e, de tudo quanto me concederes eu te darei o dízimo.” (Gênesis 28.13-22)
  • O Senhor estabelece o dízimo – “Também todas as dízimas da terra, tanto dos cereais do campo, como dos frutos das árvores, são do Senhor, santas são ao Senhor. Se alguém, das suas dízimas, quiser resgatar alguma coisa acrescentará a sua quinta parte sobre ela. No tocante às dízimas do gado e do rebanho, de tudo que passar debaixo do bordão do pastor, o dízimo será santo ao Senhor… (Levítico 27.30-33);

2. Jesus diz que devemos dar os dízimos

  • “Não penseis que vim revogar a Lei ou os profetas, não vim para revogar, vim para cumprir” Mateus 5.17
  • “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque dais o dízimo da hortelã, do endro e  do cominho e tendes negligenciado os preceitos mais importantes da Lei: a justiça, a misericórdia e a fé, devieis, porém, fazer estas coisas, sem omitir aquelas” Mateus 23.23
  • Em Hebreus 7 é esclarecida a ligação de Melquisedeque  com Cristo, tornando o dízimo do antigo testamento presente no novo. Validado pela prática de Abraão, de entregar o dízimo a Melquisedeque, com o esclarecimento de Paulo mostrando que Cristo é o sacerdote único e perfeito. A carta aos Hebreus, 7:8, deixa claro que a prática do dízimo era comum desde os primórdios da igreja primitiva

3. A primeira coisa em que devemos aplicar nossos recursos é o dízimo

A entrega do dízimo deve ser feita assim que recebemos nossos salários, proventos, rendimentos, etc., este princípio está claro em Prov. 3: 9. “Honra ao Senhor com os teus bens e com as primícias de toda a tua renda.”

4. A entrega do dízimo deve ser feita na Igreja, na casa do Senhor

  • Malaquias 3.10 “Tragam todos os dízimos à casa do tesouro…”
  • Deuteronômio 12.11 “ Então, haverá um lugar, que escolherá o Senhor, vosso Deus, para ali fazer habitar o seu nome, a esse lugar fareis chegar tudo o que vos ordeno: os vossos holocaustos, e os vossos sacrifícios, e os vossos dízimos, e a oferta das vossas mãos…”

Entendemos que o dízimo deve ser entregue na igreja que congregamos.

5. Dízimo significa a décima parte ou dez por cento de  tudo o que temos

No entanto, a Bíblia relata casos em que o reconhecimento de que o Senhor é Senhor de tudo, ou seja de 100% de nossas posses, levou a entrega de valores ou bens em % superior.

  • Zaqueu tocado por Jesus deu metade de tudo o que tinha. Lucas 19;
  • A viúva pobre que Jesus observava no templo deu tudo o que possuía. Lucas 21.1-4
  • A Igreja primitiva tinha tudo em comum conforme Atos 4.32

6. O dízimo não é para ser administrado por quem o entrega, mas sim pelos encarregados deste serviço na casa do Senhor

  • Números 18.21-24. “… Mas os levitas farão o serviço da tenda da congregação e responderão por suas faltas…”

7. Pastores, missionários, obreiros que vivem com recursos ofertados ou provenientes do dízimo do povo de Deus também deverão entregar o dízimo, é o dízimo do dízimo.

  • Números 18.25-29 “…Quando receberdes os dízimos…, … deles apresentareis uma oferta ao Senhor: o dízimo dos dízimos…”

8. O dízimo deve ser retirado da melhor parte.

  • Números 18.29-30 “De todas as vossas dádivas apresentareis toda a oferta do Senhor: do melhor delas a parte que lhe é sagrada…”
  • Hebreus 7.4. “Como era grande esse a quem Abraão, o patriarca, pagou o dízimo tirando dos melhores despojos.”

Devemos deixar que o Espírito Santo trabalhe nossos corações para que sejamos fiéis dizimistas, habilitados a receber as bênçãos que o Senhor tem preparado para nós.


Reprodução Autorizada desde que mantida a integridade dos textos, mencionado o autor e o site www.institutojetro.com e comunicada sua utilização através do e-mail [email protected]

URL: https://www.institutojetro.com/artigos/financas-e-contabilidade/conceitos-fundamentais-sobre-o-dizimo.html
Site: www.institutojetro.com
Título do artigo: Conceitos fundamentais sobre o dízimo
Autor: Rodolfo Montosa e José Roberto Luppi

A viúva e a crise

Palavra do Senhor ministrada pelo pastor Elton Melo na Primeira Igreja Batista Independente de Curitiba, Paraná, sobre o texto de 1 Reis 17.8, quando Deus ordena que Elias o seu profeta vá até Serepta para que uma viúva o sustente naqueles dias de crise. quando Elias chega naquela cidade, tudo que a mulher tinha era a expectativa de morrer, mas a misericórdia do Senhor por aquela mulher e sua casa deram-lhe uma oportunidade para experimentar um grande milagre em dias de crise. Assim diz o Senhor para a sua vida: o azeite não vai acabar, a farinha não irá faltar até que a crise passe. Receba esta palavra e seja abençoado neste momento em especial!