Jesus confronta a morte e vence!

10 julho, 2022
Palavras-chave: confronta , igreja , Jesus , Lázaro , morte
Book: João
elton-posse-rosto

Palestrante: Pr. Elton Melo

Anotações Download

Passagem Bíblica: João 11.1-6

Dentre todos os temas marcantes da Bíblia, a Ressurreição ocupa um lugar central. Abra a sua Bíblia no Evangelho de João 11.1 em diante, para meditarmos nas preciosidades desta palavra:

1 Havia um homem chamado Lázaro. Ele era de Betânia, do povoado de Maria e de sua irmã Marta. E aconteceu que Lázaro ficou doente. 2 Maria, sua irmã, era a mesma que derramara perfume sobre o Senhor e lhe enxugara os pés com os cabelos. 3 Então as irmãs de Lázaro mandaram dizer a Jesus: “Senhor, aquele a quem amas está doente”. 4 Ao ouvir isso, Jesus disse: “Essa doença não acabará em morte; é para a glória de Deus, para que o Filho de Deus seja glorificado por meio dela”. 5 Jesus amava Marta, a irmã dela e Lázaro. 6 No entanto, quando ouviu falar que Lázaro estava doente, ficou mais dois dias onde estava.

A ressurreição de Lázaro por Jesus foi marcante em seu ministério terreno, mas é uma prévia da vitória final de Cristo sobre a morte. Esta passagem desperta em nós alguns valores para que a Igreja do Senhor destes dias possa ser uma igreja que anuncia o amor de Jesus pelas pessoas, que confessa a verdade da Palavra, que chama à vida quem está morto e que celebra a vida que o Senhor tem para este tempo.

Se você deseja fazer parte desta igreja, compreenda os seguintes valores:

1- SOMOS DESAFIADOS A ANUNCIAR A MENSAGEM DE VIDA ETERNA – v.3

3 Então as irmãs de Lázaro mandaram dizer a Jesus: “Senhor, aquele a quem amas está doente”

    1. Alguém se importava com Marta, Maria e Lázaro, o suficiente para ser o portador de um pedido urgente de ajuda: Lázaro estava morrendo e se alguma coisa podia ainda ser feito, aquela éra a hora oportuna.
    2. Alguém levou o pedido; alguém percorreu o caminho; alguém foi até Cristo em nome de Lázaro. E porque alguém foi, Jesus respondeu;
    3. A frase usada pelo amigo de Lázaro é interessante: “Aquele a quem amas está doente”. Este pedido não se baseia no amor imperfeito de quem está necessitado, mas sim, no amor perfeito do Salvador.
    4. Da mesma forma, Deus nos chama para servimos de porta vozes para anunciar que Jesus ama a todos;
    5. O poder da oração não depende daquele a faz, mas daquele que ouve. Ao ouvir isso, Jesus, disse: “essa doença não é para morte, mas para a glória de Deus”.
    6. Não há papeis secundários no Reino de Deus, pois cada um de nós desempenha uma função importante (pense nos demais amigos de Marta, Maria e Lázaro).
    7. Na economia do céu, nossas orações são um bem de alto valor.

2- CRISTO NOS LEVA PARA FORA DO VALE DA MORTE – vs. 21-26

21 Disse Marta a Jesus: “Senhor, se estivesses aqui meu irmão não teria morrido. 22 Mas sei que, mesmo agora, Deus te dará tudo o que pedires”. 23 Disse-lhe Jesus: “O seu irmão vai ressuscitar”. 24 Marta respondeu: “Eu sei que ele vai ressuscitar na ressurreição, no último dia”. 25 Disse-lhe Jesus: “Eu sou a ressurreição e a vida. Aquele que crê em mim, ainda que morra, viverá; 26 e quem vive e crê em mim, não morrerá eternamente. Você crê nisso? “

    1. A morte é o maior dilema do ser humano sobre a face da terra. Nenhum de nós está 100% preparado para ela; não a desejamos. Não há respostas objetivas que possa explicar o nosso coração diante da morte.
    2. Diante da morte, Marta expressa como está o seu coração. “Se o Senhor estivesse aqui…” de alguma forma, ela está dizendo, Deus, o Senhor falhou; o Senhor poderia ter salvado meu irmão. Quantos de nós não questionamos Deus diante da morte?
    3. A psicologia consegue lidar com a depressão; os discursos animados podem lidar bem com o pessimismo, a prosperidade pode lidar bem com a fome, mas somente o Senhor nosso Deus pode lidar com o maior dilema humana que é a morte.
    4. Marta expressa confiança em Jesus quando diz que sabe que ele ressuscitar no último dia.
    5. Mas a proposta de Jesus é também para hoje: ele é a ressurreição e a vida e aqueles que creem nele nunca experimentarão a morte espiritual.
    6. Quando vemos Cristo como a nossa única esperança e recebemos sua vida, ele nos leva para fora do vale da morte.

3- JESUS NUNCA É INDIFERENTE À NOSSA DOR – v.35

35 Jesus chorou

    1. Jesus chora para que saibamos que luto não é falta de fé. Olhos marejados não representam um coração sem fé;
    2. Suas lágrimas nos dão permissão para derramar o nosso próprio pranto. O sofrimento não significa que não confiamos, mas indica que não lidamos bom com a morte dos lázaros da nossa vida.
    3. Mas Jesus não chorou pelos mortos, chorou pelos vivos. Chorou por aqueles que embora vivos na carne, ainda estavam mortos espiritualmente. Chorou por aqueles que aparentemente eram livres, mas no fundo da alma, eram prisioneiros  e cativos dos seus próprios medos.

4- A VOZ DE JESUS DESTRONA O PODER DA MORTE – v.43.

43 Depois de dizer isso, Jesus bradou em alta voz: “Lázaro, venha para fora!”

    1. “Lázaro, venha para fora”, mais que uma frase foi um comando perturbador para a morte. A morte não pode impedir a autoridade de Jesus; O poder da morte é incapaz de prender a quem Jesus dá vida pelo poder da sua Palavra;
    2. Se Jesus não tivesse chamado Lázaro especificamente pelo seu nome, todos os demais mortos teriam ressuscitados naquele cemitério. A Palavra do Senhor é autoridade em tudo.
    3. A morte é obrigada a obedecer ao comando do Mestre: Veja que no versículo 44 diz que ao ouvir a voz de Jesus “o morto saiu, com as mãos e os pés envolvidos em faixas de linho e o rosto envolto num pano… Somente o Deus que tem as chaves da morte e da vida pode trazer vida ao que está morto.
    4. A mesma voz que acordou o cadáver de Lázaro falará novamente, com voz de trovão, e nos levará para a vida eterna.

Conclusão:

A Bíblia deixa claro que Jesus tem as chaves da vida e da morte. Por isso não podemos crer que a morte física vence a vida, nem que ela é o fim de todas as coisas. Essa passagem da ressurreição de Lázaro enche o nosso coração de conforto ainda hoje. A história da ressurreição de Lázaro termina com uma importante observação: “muitos judeus que tinham vindo visitar Maria, vendo o que Jesus fizera, creram nele” (João 11.45). Da mesma forma, ainda hoje, quando Jesus transforma vidas, isso serve de testemunho pois Jesus continua chamando mortos à vida e vida eterna.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: